Pular para o conteúdo principal
Nossa rocha, sempre eterna não treme nunca. É com essa certeza no coração que passamos mais uma semana.
Sou gaúcho de nascimento, natural de uma pequena cidade chamada Alegrete, na fronteira com a Argentina. Cidade tradicionalista onde as pessoas ainda usam bombachas como traje de gala, onde o chimarrão ainda acalenta o corpo nas manhãs frias de inverno, com o vento minuano achando brechas nas roupas para congelar o corpo desprotegido. Onde fazer churrasco não precisa de motivo, basta reunir os amigos.

Mesmo acostumado com tudo isso, com o frio, com a desconfiança, que é peculiar do nosso povo gaúcho, ainda me impressiono com tamanha resistência ao evangelho aqui no sul! Parece que meu povo se considera imune ao inferno e por isso sem a necessidade de Deus. É como se vivessem em um mundo a parte, onde a única prioridade é buscar a satisfação pessoal, independente do que custe para alcançá-la.
No Rio Grande do Sul existe uma fome emocional e uma sede espiritual sem precedentes. Mas por que tantos estão tão inquietos, em busca de algo mais sem com isso, ligarem as suas vidas a Deus? A auto suficiência do gaúcho o tem afastado dos caminhos do Senhor.

Comentários

  1. Uma pena mesmo, mas a minha oração continua sendo a mesma pelo RS, "onde abundou superabundou a graça"! e sei que o trabalho de todos vocês não é vão no Senhor!
    Um dia o povo gaúcho amará a Jesus como ama suas tradições!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Vendavais

Pegue-se olhando uma árvore no tempo, o vento soprará e ela irá pra lá e pra cá em um movimento suave e harmonioso. Essa mesma árvore em meio a um vendaval, seu movimento se tornará agitado, complexo e desarmonioso! E não estando bem enraizada, cairá.

Assim somos nós, árvores, nas quais soprando os vendavais da vida. Nossas raízes precisam ser profundas e fortes na Palavra que é o solo que nos sustenta; é necessário buscar a obediência, a fé, a perseverança, a confiança, a atitude, em nos esvairmos de nós mesmos e nos enchermos de Deus. .

Não serão poucas às vezes em que a angústia, a saudade, as boas lembranças, mas também as decepções nos alcançarão. É como o vendaval que torna o movimento desarmonioso, nos afastando, mesmo que por um momento do que nos mantém de pé.

Um bom exemplo de raiz profunda foi o Jovem Davi, o qual diante de um tufão chamado Golias, firmado em Deus, sua essência, triunfou! Ele não enfrentou somente o gigante Golias, também precisou lidar com suas limi…
ALEGRIA - Postura positiva ou emoção favorável; deleite. A Bíblia menciona vários tipos de alegria. Até mesmo os ímpios podem experimentá-la quando triunfam sobre os justos (1 Co 13.6; Ap 11.10).

Entretanto, a alegria que o povo de Deus precisa ter é santa e pura. Ela se mantém viva apesar das circunstâncias e concentra-se no caráter de Deus.

O salmista, por exemplo, regozijou-se com a justiça (71.14-16), com a salvação (21.1; 71.23), com a misericórdia (31.7), a criação (148.5), a Palavra (119.14, 162) e a fidelidade de Deus (33.1-6).

As características divinas, bem como seus atos, são a causa desse regozijo.

A alegria exigida do justo vem do Espírito de Deus. Esse tipo de alegria focaliza além do presente ela enxerga a salvação futura (Rm 5.2; 8.18; 1 Pe 1.4,6) e ela enxerga o nosso Deus soberano, que faz com que todas as coisas cooperem para o bem.

Esse tipo de alegria distingue-se do mero contentamento. É possível ter alegria mesmo em meio à tribulação (1 Co 12.26; 2 Co 6.10; 7.4).

ESTÁ…