Pular para o conteúdo principal

Redescobrindo o casamento

A família vai bem, obrigado! Acho que essa é a resposta que quase todos damos diariamente as pessoas. Quando alguém pergunta sobre a nossa família a gente quase que automaticamente responde que ela vai muito bem! E isso faz a gente perder um pouco a nossa autocrítica a respeito da família, faz a gente perder um pouco a nossa avaliação a respeito de como anda a nossa família, de como ela vive de como nós estamos vivendo em família.

A verdade é que nesses últimos anos a família tem passado por profundas transformações, os relacionamentos mais do que nunca estão sendo fragmentados e as pessoas já não conseguem ter uma vida saudável uma vida agradável, uma vida gostosa a nível familiar.

No princípio da criação uma das coisas que gente percebe é que a mulher ao ser tentada pela serpente estava sozinha. A solidão é uma das marcas da família moderna, uma grande parte das mulheres vive absolutamente sozinha, dorme na mesma casa, na mesma cama, mas há uma parede que a separa das pessoas.

Essa mulher ficou sozinha, o seu marido foi indiferente a ela, por isso satanás teve oportunidade de tentá-la. A responsabilidade era dele e ele se omitiu. Vivemos o tempo da omissão dos homens. O que aconteceu com aquele casal? O homem deixou a mulher sozinha, satanás inverte os valores e põe em dúvida o projeto de Deus.

A primeira coisa que aconteceu é que a visão, a cosmo visão, a visão daquelas pessoas foi transformada foi mudada, as diferenças que Adão e Eva tinham antes era uma coisa agradável, agora, depois que eles pecam depois que o pecado entra no processo, as diferenças que tinham entre eles passaram a ser um problema.

Existem papeis do ponto de vista de Deus que devem ser cumpridos. E as diferenças dos papeis devem ser mantidos e considerados. Nós estamos invertendo isto, porque a nossa compreensão da realidade está sendo mudada, o que satanás faz é mudar e fazer a gente entender essas diferenças como coisas negativas, mas elas são coisas saudáveis.

Eu não sou igual a uma mulher eu sou diferente, e essa diferença faz parte do projeto de Deus, o meu filho é homem ele nasceu homem e essa diferença é importante na vida dele, a sua filha é mulher tem características de mulher, ela tem aspectos de mulher, essas diferenças é que nos tornam mais belos mais significativos, mais importantes e isso faz parte do projeto de Deus e da vontade de Deus para a nossa vida.

Hoje o diálogo tem sido deixado de lado dentro da família, tem mulheres que sabem que seus maridos ouvem todo mundo menos a elas. Porque não lhes é permitido falar elas têm medo de ir ao encontro do outro.

Aqui nesse casal aconteceu o seguinte: depois que o pecado entrou passou a haver duas pessoas, uma que acusava e a outra que era a vítima. Em todo o relacionamento é assim. Primeiro o homem acusou a mulher, ele se tornou acusador e ela passou a ser a vítima, depois a mulher não quis acusar o marido, mas acusou a serpente, em últimas palavras Deus passou a ser vítima de ter provocado toda aquela situação, porque foi ele que criou a serpente.

Geralmente nos relacionamentos conjugais é assim. Tem um que acusa e tem outro que é a vítima, é por isso que começam a se dar as brigas e confusões e as pessoas começam a colecionar coisas ruins, de palavras ruins ao longo do tempo, um é sempre a vítima e o outro é sempre o acusador.

Agostinho de Hipona dizia que se a gente olhasse pra nossa própria vida interior de uma vez só nós não suportaríamos e morreríamos. O salmista ora e diz e pede para que o Espírito Santo o convide para entrar em si mesmo": " sonda-me ó Deus e vê se há em mim algum caminho mau". Esta oração que você tem que fazer hoje, você tem que tirar seus olhos do outro em primeiro lugar, você tem que olhar para a sua própria vida e ver onde são os pontos vulneráveis no teu relacionamento.

Quero anunciar que o Deus que nós pregamos é um Deus que restaura a família. É um Deus que restaura relacionamentos, é um Deus que cura, é um Deus que junta aquilo que as pessoas pensavam que não era possível juntar, é um Deus que olha com amor, com misericórdia e zela por esse projeto precioso que é o relacionamento do marido e da mulher.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vendavais

Pegue-se olhando uma árvore no tempo, o vento soprará e ela irá pra lá e pra cá em um movimento suave e harmonioso. Essa mesma árvore em meio a um vendaval, seu movimento se tornará agitado, complexo e desarmonioso! E não estando bem enraizada, cairá.

Assim somos nós, árvores, nas quais soprando os vendavais da vida. Nossas raízes precisam ser profundas e fortes na Palavra que é o solo que nos sustenta; é necessário buscar a obediência, a fé, a perseverança, a confiança, a atitude, em nos esvairmos de nós mesmos e nos enchermos de Deus. .

Não serão poucas às vezes em que a angústia, a saudade, as boas lembranças, mas também as decepções nos alcançarão. É como o vendaval que torna o movimento desarmonioso, nos afastando, mesmo que por um momento do que nos mantém de pé.

Um bom exemplo de raiz profunda foi o Jovem Davi, o qual diante de um tufão chamado Golias, firmado em Deus, sua essência, triunfou! Ele não enfrentou somente o gigante Golias, também precisou lidar com suas limi…
ALEGRIA - Postura positiva ou emoção favorável; deleite. A Bíblia menciona vários tipos de alegria. Até mesmo os ímpios podem experimentá-la quando triunfam sobre os justos (1 Co 13.6; Ap 11.10).

Entretanto, a alegria que o povo de Deus precisa ter é santa e pura. Ela se mantém viva apesar das circunstâncias e concentra-se no caráter de Deus.

O salmista, por exemplo, regozijou-se com a justiça (71.14-16), com a salvação (21.1; 71.23), com a misericórdia (31.7), a criação (148.5), a Palavra (119.14, 162) e a fidelidade de Deus (33.1-6).

As características divinas, bem como seus atos, são a causa desse regozijo.

A alegria exigida do justo vem do Espírito de Deus. Esse tipo de alegria focaliza além do presente ela enxerga a salvação futura (Rm 5.2; 8.18; 1 Pe 1.4,6) e ela enxerga o nosso Deus soberano, que faz com que todas as coisas cooperem para o bem.

Esse tipo de alegria distingue-se do mero contentamento. É possível ter alegria mesmo em meio à tribulação (1 Co 12.26; 2 Co 6.10; 7.4).

ESTÁ…