Pular para o conteúdo principal

Eu construo o meu Deus...

Deus tem muito amor e muita misericórdia, mas até Seu amor e misericórdia tem um limite. Parece que há um termômetro, um medidor, de como nós estamos lidando com a Graça, com a misericórdia e com o amor de Deus na nossa vida. E chega um determinado momento que esse termômetro, esse medidor, de alguma maneira ele explode e Deus diz: agora chega!

Sempre buscamos formas de suprir nossas necessidades e com isso trazemos a ira de Deus sobre nossa vida, e uma dessas formas é quando nós tentamos adequar o mundo a nossa realidade de fé

A gente tem uma fé, a gente tem valores, a gente tem uma crença profunda de Deus em nós, cremos que a palavra de Deus é verdade, e aí começamos a entrar em conflito com essa palavra. Então queremos fazer pequenos ajustes para que o mundo caiba dentro dessa palavra. Caro leitor, é aí que começamos a quebrar aquilo que é bênção na nossa vida. E aí eu crio um tipo de fé, um tipo de religião, quem sabe cheia de piedade, mas sem nenhum poder, sem nenhuma vivencia da graça verdadeira de Deus.

Mas não para aí. De repente percebemos que não dá para colocar o mundo exatamente dentro de nossa fé, então nós tentamos adequar Deus às nossas paixões. Já que não da para fazer caber tudo aqui, então a gente começa a mudar a nossa imagem, a nossa compreensão de Deus.

Quando nós flexibilizamos e queremos que a nossa fé comporte o mundo, nós não temos problemas em transformar até o Deus a da nossa fé. A gente tentou trazer o mundo para dentro da nossa fé, não deu, então a gente começa a mudar Deus, na nossa concepção, na nossa idéia, na nossa atitude, na nossa fé, no nosso jeito de viver, e aí nós deixamos de sentir o pecado como mal, e nós perdemos a percepção acurada do certo e do errado. Vivemos como se não houvesse um critério, um ponto de vista determinante, como se não houvesse Deus.

Agora como é que Deus trabalha diante disso? Existe um cálice, e este cálice vai sendo cheio, e ele começa a transbordar, e a Bíblia vai dizer que em cada momento desse esgotar da Sua ira Deus está dizendo: Volte, é tempo de reconhecer o Senhor que tem tocado seu coração, por isso quando caem gotas da ira em nossas vidas, na verdade essas gotas são um grande chamado de Deus ao nosso arrependimento.

Tem muita gente que não acredita que a ira de Deus possa vir, mas olha para a tua vida e você vai ver as gotinhas. Elas vêm envolvidas na graça para dizer filho volta.

Deus procura pessoas que sejam instrumentos de sua graça todo o dia. Que vivam os valores do reino. Que deixem de tentar construir o seu próprio Deus para se entregar ao único verdadeiro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vendavais

Pegue-se olhando uma árvore no tempo, o vento soprará e ela irá pra lá e pra cá em um movimento suave e harmonioso. Essa mesma árvore em meio a um vendaval, seu movimento se tornará agitado, complexo e desarmonioso! E não estando bem enraizada, cairá.

Assim somos nós, árvores, nas quais soprando os vendavais da vida. Nossas raízes precisam ser profundas e fortes na Palavra que é o solo que nos sustenta; é necessário buscar a obediência, a fé, a perseverança, a confiança, a atitude, em nos esvairmos de nós mesmos e nos enchermos de Deus. .

Não serão poucas às vezes em que a angústia, a saudade, as boas lembranças, mas também as decepções nos alcançarão. É como o vendaval que torna o movimento desarmonioso, nos afastando, mesmo que por um momento do que nos mantém de pé.

Um bom exemplo de raiz profunda foi o Jovem Davi, o qual diante de um tufão chamado Golias, firmado em Deus, sua essência, triunfou! Ele não enfrentou somente o gigante Golias, também precisou lidar com suas limi…
ALEGRIA - Postura positiva ou emoção favorável; deleite. A Bíblia menciona vários tipos de alegria. Até mesmo os ímpios podem experimentá-la quando triunfam sobre os justos (1 Co 13.6; Ap 11.10).

Entretanto, a alegria que o povo de Deus precisa ter é santa e pura. Ela se mantém viva apesar das circunstâncias e concentra-se no caráter de Deus.

O salmista, por exemplo, regozijou-se com a justiça (71.14-16), com a salvação (21.1; 71.23), com a misericórdia (31.7), a criação (148.5), a Palavra (119.14, 162) e a fidelidade de Deus (33.1-6).

As características divinas, bem como seus atos, são a causa desse regozijo.

A alegria exigida do justo vem do Espírito de Deus. Esse tipo de alegria focaliza além do presente ela enxerga a salvação futura (Rm 5.2; 8.18; 1 Pe 1.4,6) e ela enxerga o nosso Deus soberano, que faz com que todas as coisas cooperem para o bem.

Esse tipo de alegria distingue-se do mero contentamento. É possível ter alegria mesmo em meio à tribulação (1 Co 12.26; 2 Co 6.10; 7.4).

ESTÁ…